segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Ted Bundy


                                   Theodore Robert "Ted" Bundy

(24 de novembro de 1946 – 24 de janeiro de 1989) foi um dos mais temíveis assassinos em série da história dos Estados Unidos da América durante a década de 1970.


Com uma infância perturbada, ele iniciou a sua carreira criminosa assassinando e estuprando as suas vítimas.

Era um homem charmoso, de conversa e aparência e usava palavras convincentes, que lhe ajudariam a seduzir e eliminar mulheres em uma matança desenfreada.

Foi preso e conseguiu fugir, dando continuidade em seus crimes na mesma noite em que escapara.
Há um episódio que foi retratado onde invadiu uma república de moças e as matou a sangue frio.
Seu último assassinato foi uma garota de apenas doze anos de idade.


Ted Bundy foi levado a julgamento e condenado à pena de morte. 
Os jurados demoraram apenas quinze minutos deliberando sobre o veredito.

Infância: 

Bundy nasceu na Maternidade Elizabeth Lund Unwed Mothers, em Burlington, Vermont. Enquanto a identidade de seu pai permanece um mistério, na certidão de nascimento de Bundy há o nome de "Lloyd Marshall" (b. 1916), embora a mãe de Bundy, mais tarde, informasse ter sido seduzida por um veterano de guerra chamado "Jack Worthington". A família não acreditou nesta história, porém, se manifestou desconfiança sobre Louise ter sido estuprada por seu próprio pai, Samuel Cowell.  Para evitar o estigma social, os avós de Bundy, Samuel e Eleanor Cowell Fingiram que ele era filho deles; dando seu último nome, ele então se tornou Theodore Robert Cowell. 


Ted Cresceu acreditando que sua mãe, Eleanor Louise Cowell, era sua irmã mais velha. A Biografia que Stephen Michaud e Hugh Aynesworth escreveram, diz que ele só soube que Louise era realmente sua mãe quando estava na escola secundária. 
O escritor Ann diz que isso lhe foi revelado em torno de 1969, pouco tempo após uma traumática ruptura com a sua namorada colégio.


Durante os primeiros anos de sua vida, Bundy e sua mãe moraram na Filadélfia com seus avós maternos. Em 1950, Bundy e sua "irmã" mudaram-se para viver com familiares, em Tacoma, onde Louise Cowell inexplicavelmente teve outro filho do último namorado, mudando assim de nome para Cowell Nelson. Em 1951, um ano após a sua jogada, Louise Cowelll reuniu Johnnie Culpepper Bundy em um culto a noite realizada em Tacoma da Primeira Igreja Metodista. Veterano da Marinha e cozinheiro em um hospital local "Veterans Administration", Bundy era elegível e solitário, assim como a mãe solteira Cowell. Em Maio do mesmo ano, o casal já estava casado, e logo após isso Johnny adotou Ted Bundy, legalmente mudou o seu último nome para "Bundy".


Executado em 24 de janeiro de 1989, Bundy ainda foi alvo de uma ironia no dia de sua morte: foi uma mulher que ligou a chave da cadeira elétrica que pôs fim à sua vida.




O conteúdo a seguir foi retirado e adaptado do 3º volume dos 3 volumes dos livros "Mente Criminosa".



Serial Killer Ted Bundy. Atraente, charmoso e com um falso gesso no braço, ele atraiu suas primeiras vítimas, pedindo-lhes que o ajudassem.



Estudo de caso: Ted Bundy:

Embora viesse de uma família pobre, Theodore Robert Bundy era um rapaz bem educado. Frequentou a Universidade de Stanford, graças a uma bolsa para estudos chineses e formou-se com honra ao mérito em psicologia. Ironicamente, considerando sua vida futura como serial killer, encontrou um emprego como assistente de psicologia na comissão para o crime de Seattle. Atraente, era gentil e cavalheiro com as mulheres, embora tivesse uma vontade incontrolável de matá-las.
Durante os primeiros oito meses de 1974, cerca de uma universitária por mês começou a desaparecer na área de Seattle. Bundy tinha se mudado para Salt Lake City, onde entrou na Universidade de Utah para estudar direito. Pouco depois, começaram a desaparecer universitárias em Utah e Colorado. Em agosto de 1975, Bundy foi preso em Salt Lake City por dirigir de forma suspeita e, enquanto estava na prisão, foi descoberto um cabelo no seu carro, que era idêntico ao de uma menina estuprada cujo corpo despedaçado tinha sido encontrado em Colorado. 

Bundy foi levado para Aspen e aguardava julgamento por homicídio. Ele conquistou seus guardas e procuradores e fez com que permitissem visitas à biblioteca de direito para preparar sua própria defesa. Lá, conseguiu abrir uma janela, pulou de uma altura de 12 metros e escapou. Foi recapturado oito dias depois, escondido em uma cabana abandonada perto de uma montanha. Em dezembro de 1977. no entanto, cavou um buraco no teto de sua cela na prisão e fugiu novamente.

Em poucos dias, estava em Tallahasse fingindo ser um aluno da Universidade da Flórida. Em 15 de janeiro de 1978, invadiu a casa da fraternidade Omega Chi e foi de quarto em quarto, atacando e estuprando mulheres, matando duas com um taco de madeira e deixando outras duas gravemente feridas. No caminho de volta para seu alojamento, estuprou e matou outra estudante na cama dela.

Bundy poderia nunca ter sido indiciado se tivesse deixado a Flórida naquele momento. No entanto, em 9 de fevereiro, raptou uma menina de 12 anos, a quem estuprou e matou, escondendo seu corpo em um galpão vazio. Na noite de 14 de fevereiro foi preso, mais uma vez, por dirigir de forma perigosa. Foi identificado só alguns dias depois.
Quando foi levado ao júri, a evidência mais forte contra ele era uma marca de mordida na nádega de uma das vítimas do ataque ao Omega Chi, que era idêntica à mordida de Bundy.
Usando seu conhecimento da lei, apresentou uma série de recursos e permaneceu no corredor da morte durante dez anos, mas acabou sendo executado em janeiro de 1989. No fim, ele admitiu 23 assassinatos, mas pelo menos outros 15 já foram atribuídos a ele também. 


Após a sua detenção, Ted Bundy disse a um detetive: "Às vezes me sinto como um vampiro". Ele foi finalmente identificado pela mordida que deu nas nádegas de uma de suas últimas vítimas.


A MÃO de BUNDY:

Para entender melhor o estudo de grafologia vide post : http://pasdemasque.blogspot.com/2011/10/postagem-especial-3-mente-criminosa.html

Em seu livro chamado Caligrafia no Mundo da Fama e da Infâmia (2001), a reconhecida grafologista Sheila Lowe, britânica de nascimento, mas qualificada para analisar a caligrafia nos juizados da Califórnia, oferece uma análise da escrita de Bundy. O que é imediatamente marcante é o traço inicial em forma de gancho chamado "arpão" que está no começo de quase todas as palavras. Eles são particularmente proeminentes na margem do lado esquerdo, o que, segundo Lowe, denota raiva e ressentimento com fatos ocorridos no passado. "O ritmo interrupto e desorganizado, característica da caligrafia dos criminosos", ela analisa, "significa uma personalidade mal integrada. As letras muito juntas demonstram a incapacidade de manter perspectiva clara e perceber o que é e o que não é apropriado".

Na região do meio, que representa aquilo que a pessoa gosta ou não e as relações sociais, Sheila Lowe salienta a variação na largura e no espaçamento das palavras. Isso, diz ela, indica inconsistência na sua interação com os outros. "Os arpões vêm de uma região, a inferior, à qual não pertencem e sugerem que a pessoa está presa ao passado, seja real ou imaginário. Eles estão escondidos no começo e depois aparecem abruptamente na zona do meio"...


Trecho de uma carta escrita pelo serial killer Ted Bundy. Um pronome pessoal grande, estilo de escrita tumultuado e iniciais pronunciadas sugerem desejo de poder e controle.

...A zona mais baixa está associada com a sexualidade. Aqui os traços profundos que penetram em muitos casos na zona superior da linha seguinte indicam uma motivação forte. Mas ao mesmo tempo o ritmo do movimento é lento e, segundo Lowe, "os traços tremidos refletem o desconforto de Bundy nessa área".

Em contrapartida, a zona superior, com exceção da letra I exagerada, é relativamente limitada, denotando uma atitude fechada, "sem lugar para algo pondente à mãe na parte superior do círculo, por isso a sua opinião das mulheres é irreal e não tem uma figura de "pai" para equilibrá-lo".
Ela conclui que "o espaço apertado, o grande pronome pessoal e os traços iniciais rígidos sugerem uma necessidade de poder e controle. Não é o tipo de ritmo elástico, o que mostra energia positiva e vontade de trabalhar arduamente para atingir metas. Ele queria tomar o controle da forma mais fácil possível nesse momento".


O conteúdo abaixo foi retirado do livro "501 Crimes mais notório".

"Mande lembranças minhas à família e aos amigos".

O crime: Theodore Robert Bundy foi um dos mais famosos serial killers dos Estados Unidos. Nascido em 24 de novembro de 1946, ele tinha cabelos escuros e boa aparência. E também era um psicopata, um Voyeur, masturbador compulsivo e assassino frio. Ele começou sua carreira de crimes em Seattle, Washington, no ano de 1974.



Em 31 de janeiro a estudante Lynda Ann Healey desapareceu. Em 14 de julho Janice Ott, 23 anos, e Denise Naslund, 19, desapareceram em incidentes distintos no  Sammamish Park. Testemunhas oculares disseram à policia que as duas jovens haviam sido vistas com um homem bonito com um dos braços numa tipoia. Seus restos foram encontrados em setembro, junto com os de uma terceira vítima, 3,2 quilômetros a leste de onde elas haviam desaparecido. Então, as mortes cessaram. Em outubro de 1974 meninas começaram a desaparecer em Salt Lake City, Utah, mas a policia não relacionou os crimes àqueles em Seattle. Então, em 8 de novembro de 1974 o assassino cometeu um engano. Carol DaRonche escapou depois de um homem fingir ser policial e tentar sequestrá-la.  
Algumas vítimas.

Ela conseguiu dar a policia uma boa descrição do homem que tentara atacá-la, e essa descrição correspondia à do principal suspeito em Seattle. Em 12 de janeiro de 1975 a enfermeira Caryn Campbell, 23 anos, foi assassinada em Aspen, Colorado. Seu corpo nu não foi encontrado até 17 de fevereiro, quando a neve se derreteu.

Em 16 de agosto de 1975 Ted Bundy, então com 29 anos, foi preso após ultrapassar um farol vermelho, e a policia encontrou no porta-malas do carro ferramentas que poderiam ser usadas para roubar ou sequestrar. Em dezembro de 1976 ele foi condenado por agressão com agravante no caso DaRonche. 

A polícia achava difícil acreditar que o belo e simpático Bundy era um assassino em série depravado. Quando ele preparava a própria defesa, conseguiu fugir da cadeia duas vezes, mas foi recapturado. Em 31 de dezembro de 1977 ele conseguiu escapar mais uma vez e deu início a um rastro de caos que durou seis semanas e o levou a Tallahassee, Flórida, onde atacou quatro universitárias de uma fraternidade, sendo que uma delas Lisa Levy, morreu depois de Bundy arrancar seus mamilos a dentadas.


Dr. Lowell J. Levine, um perito odontologista de Nova York, atesta que as marcas de dentes encontradas nas nádegas de uma das vítimas foram deixadas por Bundy.


Em fevereiro de 1978 ele tentou sem sucesso sequestrar uma menina de 14 anos. Conseguiu levar Kimberley Leach, 12 anos, e a assassinou em 9 de fevereiro. Bundy escondeu o corpo da garota para poder voltar a abusar dele novamente.

Bundy foi preso em 15 de fevereiro de 1978 e sentenciado à morte. Às 7:07 horas em 24 de janeiro de 1989 ele morreu na cadeira elétrica na Flórida. Bundy tentara salvar a própria vida se oferecendo para revelar a localização de corpos de outras vítimas. Suas últimas palavras foram: "Mande lembranças minhas à família e aos amigos".


Corpo de Ted Bundy 

                                     


Filme "TED BUNDY" Legendado. Recomendo.




No começo da vida ele era bem tímido. Mas calma, juro que não foi assim que ele aprendeu a falar em público rs, já você, se for tímido, fica a dica:

                                       

Sem comentários: