terça-feira, 9 de julho de 2013

Theresa Knorr


Theresa Knorr

Theresa Knorr nasceu Theresa Jimmie Cross em Sacramento, Califórnia, em 14 de março de 1946, dos pais Swannie Gay (née Myers) e James Cross. Ela era a caçula da família e muito dedicada à sua mãe. Quando sua mãe morreu, em 1961, Theresa entrou em depressão. Aos 16 anos, casou-se com Clifford Clyde Sanders. Eles tiveram um filho, Howard Clyde Sanders, em 1964. Seu casamento terminou quando Knorr matou Sanders com um tiro, no verão de 1964, ele tinha 22 anos, enquanto eles estavam vivendo em Galt, Califórnia. Ela foi julgada, mas absolvida do crime, tendo alegado auto-defesa. Ela estava grávida na época e em breve daria a luz ao seu segundo filho, uma menina, Sheila Gay Sanders, em 1965.


Em 1966, quando grávida de sete meses de seu terceiro filho, ela se casou com o pai da criança, Robert Knorr. A criança, Suesan Marlene Knorr, nasceu em setembro do mesmo ano,  em 1967 teve um filho chamado William Robert Knorr, e, em 1968, outro filho, Robert Wallace Knorr, Jr. Em 1970, Teresa deu à luz uma filha, Theresa (Terry) Marie Knorr, em homenagem a ela mesma.
Nenhum dos filhos de Knorr foram poupados de seus abusos físicos, verbais e psicológicos. No entanto, Knorr tinha um ódio especial pelas suas filhas Suesan e Sheila, alimentada pelo ciúme e inveja pelo florescimento e juventude das meninas, enquanto ela enfrentava a perspectiva de envelhecer e perder a sua aparência, de acordo com uma entrevista com a filha sobrevivente, Terry, em um episódio de Cold Case Files A & e (intitulado "Regras da mamã"). Uma das torturas aplicadas nas meninas era obrigá-las a comer em excesso. Terry disse mais tarde em “mulheres mortais” (Deadly Women) do Investigation Discovery que Theresa Knorr  acreditava que Suesan e Sheila eram bruxas que a lançaram feitiços para que ela ganhasse peso e se torna-se feia. Durante anos, Knorr abusou e torturou os filhos de várias maneiras, incluindo queimando-os com cigarros e batendo neles. Knorr focou sua raiva, principalmente em suas filhas e treinou seus filhos para bater, disciplinar e conter suas irmãs.


A morte de Suesan:

Suesan 

Durante uma discussão acalorada em 1983, Knorr pegou uma pistola calibre 22 e atirou no peito de Suesan. A bala ficou alojada, mas Knorr recusou-se a procurar ajuda médica e deixou Suesan algemada numa saboneteira e para morrer na banheira. Ela sobreviveu, por isso Knorr começou a tratá-la para que ela melhorasse.
Ela finalmente se recuperou com absolutamente nenhum tratamento profissional. Em 1984, Suesan decidiu contar à mãe que queria sair de casa. Knorr concordou sob a condição de que Suesan a deixasse retirar a bala, no chão da cozinha, usando cápsulas Mellaril e bebidas alcoólicas como anestésico.  Knorr ordenou que Robert retirasse a bala com um estilete.
Rapidamente se percebeu os sinais de infecção generalizada, a pele de Suesan ficou amarela de icterícia, ela se tornou delirante e logo entrou em coma.  Knorr permitiu as outras crianças a caminhar sobre ela enquanto ela estava deitada (morrendo) no chão. Knorr disse a seus outros filhos que a doença de Suesan foi resultado de posse por Satanás e que a única maneira de limpar o demônio era com fogo. Ela coagiu Robert e Will a ajudá-la a eliminar Suesan. Eles a levaram a Sierra Nevada,  Interstate, fora de Truckee, a colocaram no chão, jogaram gasolina e a queimaram viva.

A morte de Sheila:

Sheila

Após a morte de Suesan, Theresa Knorr focou o peso de sua tortura e brutalidade em Sheila. De acordo com Terry, Knorr forçou Sheila a se tornar uma prostituta e depois acusou-a de transmitir uma doença sexualmente transmissível para ela via um assento sanitário. Depois disso, o abuso a Sheila aumentou. Sheila ficava trancada em um armário e morreu de desidratação e fome, mas não antes de dizer a Terry que ela seria a próxima na “lista negra” de sua mãe. Seu corpo foi embalado em uma caixa de papelão e despejado ao lado de uma estrada. Elas (as duas meninas mortas) não foram identificadas por muitos anos.

Fuga de Terry:
Terry



Posteriormente, Terry afirmou que sua mãe a obrigou a queimar o apartamento da família em Sacramento, na esperança de destruir qualquer evidência de que pudesse implicá-la na morte de Sheila. Terry disse mais tarde que ela sobreviveu abuso de sua mãe, porque ela a enfrentou para que ela a deixasse sair de casa. Terry tentou falar com as autoridades várias vezes nos anos que se seguiram, mas afirmou que a história dela soou tão rebuscada (pretensiosa) que ninguém acreditava nela.

Conclusão:

Theresa Knorr

William

Robert




Knorr e seus filhos foram presos em 1993, quando Terry contactou as autoridades depois de assistir a um episódio de American Most Wanted, segundo ela. Em 15 de novembro de 1993, Knorr foi acusada de dois crimes de homicídio, duas acusações de conspiração para cometer assassinato, e dois encargos circunstâncias especiais: assassinato múltiplo e assassinato por tortura. Knorr inicialmente se declarou inocente, mas, em seguida, quando descobriu que seus filhos contaram tudo, fez um acordo com a promotoria. Ela se declarou culpada na condição de que seus filhos não fossem processados​​. Em 17 de outubro de 1995, ela foi condenada a duas penas de prisão perpétuas consecutivas. Ela será elegível para liberdade condicional em 2027.

Filme baseado na história de Knorr.


                                      
Adoro esse programa do ID, Most Evil Crimes, fala de outros casos também, vale a pena assistir.



                                  

15 comentários:

Camila Okimura disse...

Eu vi esse caso no Investigação Discovery... Fiquei pasma!
Obrigado por contar com tanta riqueza de detalhes!

Anónimo disse...

Onde posso assistir esse filme , nao consigo achar em nenhum lugar para assistir online !! Alguem sabe ?!

Macabéa disse...

Também queria saber, mas não achei.

Saulo Martins disse...

Tem um filme chamado The Afflicted, no Netflix, mas o filme conta a história de uma forma totalmente diferente, não vale a pena como referencia para o caso.

Saulo Martins disse...

Tem um filme chamado The Afflicted, no Netflix, mas o filme conta a história de uma forma totalmente diferente, não vale a pena como referencia para o caso.

Anónimo disse...

Tbm não achei o filme =[

Raquel Freire disse...

Assisti esse caso no "Casos Arquivados" e confesso que não consegui dormir, fiquei chocada com tamanha crueldade... E o depoimento da sobrevivente me surpreendeu, fiquei aliviada por ter conseguido refazer sua vida depois de tanto abuso e sofrimento.

Adorei o Blog, o achei por acaso, tava pesquisando sobre o caso Susan Smith (acabei de assistir no ID) e não consigo parar de ler!!!

Rodrigo Fernandes disse...

Quem quiser baixar o filme é só procurá-lo no site Scary Torrent.

Anónimo disse...

Gente, aqui tem o link para baixar o filme: http://scarytorrent.com.br/the-afflicted-2010/

Sara Vitoria Carvalho disse...

Esse caso é totalmente aterrorizante . Ví o filme na Netfix , a história é um pouco distorcida , mas da pra ter uma base de tamanha crueldade dessa mulher !

Tatiane disse...

Tem o filme no blog horror alternativo, mas a legenda tá zuada

Anónimo disse...

Essa mulher precisa ser sentencia a pena de morte !!!!! urgente
Não digna de pena, insensível !!!!

Desligadas disse...

Para quem estava interessado em ver o filme, ele já está disponivel no Netflix.

Unknown disse...

Oi, eu não sei se esse blog ainda está ativo, mas adoro todas as postagens e a riqueza de detalhes dos fatos.
Como estudante de psicologia acho tudo muito interessante, a mais intrigante pra mim ainda é daquela garotinha assassina, Mary Bell, mas sobre o caso knor, o que houve com o segundo marido? Ela o assassinou também?

Ree disse...

Oi, eu não sei se esse blog ainda está ativo, mas adoro todas as postagens e a riqueza de detalhes dos fatos.
Como estudante de psicologia acho tudo muito interessante, a mais intrigante pra mim ainda é daquela garotinha assassina, Mary Bell, mas sobre o caso knor, o que houve com o segundo marido? Ela o assassinou também?