quinta-feira, 23 de julho de 2009

Serial Killer Michael Ross.



A História do Serial Killer Confesso Michael Ross é a trágica história de um jovem que veio de uma vida na fazenda que ele amava, embora ele não se lembre dos abusos que sofreu quando criança.
É também um conto do mesmo homem que era dirigido por violentas fantasias sexuais, estuprou brutalmente e assassinou oito jovens meninas.
E finalmente é a história do sistema judiciário que pode decidir entre a morte e a vida de alguém como ele.


Infância:


Michael Ross nasceu em 26 de Julho de 1959 no Brooklyn,Conn. Filho de Daniel e Pat Ross.
Os pais dele se casaram depois que Pat descobriu que estava grávida.
O casamento nao foi feliz. Pat detestava a vida na fazenda e depois de ter 4 filhos e 2 abortos, ela fugiu para a Carolina do Norte para ficar com outro homem.
Quando retornou para casa ela foi internada no Hospital Norwich.
O Médico disse que ela falava em suicídio e em espancar as crianças.
A irmã de Michael disse que ele tinha que aguentar os ataques de raiva de sua mãe Pat.
Ela também disse que suspeita de que ele tenha sido abusado sexualmente pelo tio que cometeu suicídio enquanto cuidava das crianças.
Michael Ross diz que se lembra muito pouco dos abusos que sofreu quando criança, mas se lembra como ele amava ajudar o pai com as tarefas da fazenda.
Após o suicídio do tio o trabalho de estrangular e depenar as galinhas se tornou responsabilidade dele com 8 anos de idade.
Ele tinha que estrangular as galinhas com as próprias mãos.
Conforme ele foi ficando mais velho as responsabilidades dele também foram crescendo.
Na época de colegial o pai de Ross dependia cada vez mais do filho.
Michael amava suas tarefas na fazenda e conseguia fazer as duas coisas.
Com um QI de 122, pra ele estudar e trabalhar na fazenda era tranquilo.
Em 1977, Ross entrou na Universidade Cornell e estudou economia agricultura.
Ele começou a namorar uma mulher e sonhava em um dia se casar com ela.
Quando ela engravidou e perdeu o bebe o relacionamento começou a esfriar.
Logo eles terminaram. Ele começou a fantasiar com violência.
No segundo ano Universitário ele começou a perseguir mulheres.
No ultimo ano, apesar de estar noivo de uma mulher, as fantasias o consumiam e ele cometeu o primeiro estupro.
No mesmo ano ele cometeu seu primeiro estupro e assassinato por estrangulamento.
Mais tarde ele disse que se odiava por isso e tentou cometer suicídio, mas nao morreu e prometeu a ele mesmo q nunca iria machucar alguém denovo.
No entanto em 1984, Ross estuprou e matou 8 jovens mulheres a mais velha tinha 25 anos.


As Vítimas:


Dzung Ngoc Tu, 25, estudante da Universidade Cornell, morta em 12 de 1981.
Paula Perrera, 16, de Wallkill, N.Y. morta em Março de 1982.
Tammy Williams, 17, de Brooklyn, morta em 5 de Janeiro de 1982.
Debra Smith Taylor, 23, de Griswold, morta em 15 de Junho de 1982.
Robin Stavinksy, 19, de Norwich, morta em Novembro de 1983.
April Brunias, 14, de Griswold, morta em 22 de Abril de 1984.
Leslie Shelley, 14, de Griswold, morta em 22 de Abril de 1984.
Wendy Baribeault, 17, de Griswold, morta em 13 de Junho de 1984.


Encontrando Ross:


Michael Malchik foi o investigador responsável pelo caso após o assassinato de Wendy Baribeault em 84.
Uma testemunha disse q o carro era um Toyota azul.
O q levou Machik a interrogar todos os donos de carros Toyota azul.
Ross estava vivendo em Jewett City como vendedor de seguros.
Os pais dele haviam se divorciado e vendido a fazenda.
Durante a entrevista com Malchik , Ross contou sobre duas vezes q ele foi preso por ofensas sexuais.
Nesse ponto Malchik decidiu leva-lo para a estação policial para um interrogatório mais a fundo.
Lá os dois conversaram como se fossem velhos amigos.
Sobre Família, namoradas e a vida em geral.
No final ele havia confessado os oito assassinatos.


Condenação:


Em 1987, Ross foi condenado pelos 8 assassinatos.
O Júri levou 86 minutos para dar o veredicto - MORTE.









Patrick Mackay


Patrick Mackay ( Nascimento : 25 de Setembro de 1952 )
É um Serial Killer confesso. Matou 11 pessoas na Inglaterra em meados dos anos 70.


Infância:
Quando criança Mackay foi vítima frequente de abusos físicos nas mãos do pai Harold alcoólatra.
Quando Mackay estava com 10 anos o pai morreu de complicações pelo Alcoolismo e problemas no coração.
As suas últimas palavras para o filho foram : " Lembre-se de ser bom ".
Patrick foi incapaz de compreender a perda do pai, dizia as pessoas que o pai ainda estava vivo. Mantinha uma fotografia do pai no bolso.
Na juventude começou a sofrer de ataques de Ira e raiva.


Torturar animais era sua diversão. Ele tinha uma tartaruga de estimação, em certo momento jogou a coitadinha no fogo. Perseguia e perturbava crianças mais novas, roubava casas de senhoras idosas, roubava pessoas nas ruas.
E também tentou matar sua mãe e tia. Certa vez tentou matar um rapaz mais novo, mais tarde disse que se tivesse conseguido não teria sido preso ou punido por isso.
Depois tentou colocar fogo em uma igreja católica. Por causa de tantos incidentes ele passou a adolescência entrando e saindo de instituições para pessoas com problemas mentais.


Aos 15 anos foi diagnosticado como sendo um Psicopata pelo Dr. Leonard Carr.
Carr previu que ele seria um assassino psicopata frio no futuro.


Maioridade:


Assim que atingiu a fase adulta, Mackay desenvolveu um fascínio pelo Nazismo.
Se auto-nomeou "Franklin Bollvolt O Primeiro" e encheu seu apartamento de memorandos Nazistas.
Vivia em Londres e estava frequentemente bêbado e ou drogado.
Em 1973, perto da casa da mãe dele em Kent, ele conheceu e ficou amigo de um Padre chamado Anthony Crean, Mackey invadiu a casa do Padre e roubou um cheque de £30.
Preso e acusado pela policia, ele foi condenado a pagar o valor que roubou mas nunca o fez.
O incidente é claro, causou uma briga entre os dois e Mackay voltou para Londres.
Foi nessa época que ele disse ter afogado um "vagabundo" no Rio Thames.


Em 21 de Março de 1975, na época com 22, Mackay usou um machado para matar o Padre Crean,
Acertou o crânio do Padre e ficou ali assistindo ele sangrar até a morte.
Ele foi preso rapidamente, e logo foi considerado suspeito por uma dúzia de assassinatos, a maioria das vítimas sendo senhoras idosas mortas com facadas ou estranguladas durante assaltos.
Mackay se gabou confessando ter matado 11 pessoas.
Foi acusado de 5 assassinatos, mas 2 foram retirados por falta de provas.
Em Novembro de 1975 foi condenado e sentenciado a prisão perpétua.