domingo, 31 de janeiro de 2010

Mijailo Mijailovic




SUÉCIA
QUARTA-FEIRA, 24 DE MARÇO DE 2004.
 
Mijailo


Mijailo Mijailovic foi condenado a prisão perpétua, por homicídio, num tribunal de Estocolmo.
 
Mijailo Mijailovic, que confessou ter esfaqueado até à morte a ministra dos Negócios Estrangeiros sueca, Anna Lindh, foi condenado a prisão perpétua, por homicídio, por um tribunal de Estocolmo.



A sentença foi dada mais de seis meses depois de Lindh, uma das ministras mais populares, ter sido morta por um desconhecido que a atacou quando fazia compras num centro comercial de Estocolmo.



Por terra ficaram as alegações da defesa, de distúrbios mentais por parte do agora condenado homicida. Apesar da confirmação de que ele tem severos problemas psiquiátricos.

Ele na cena do crime.


O tribunal confirmou a pena pedida pela representante do Ministério Público (acusação), Agneta Blidberg, que considerou não haver dúvidas de que Mijailovic teve intenção de matar - e não de ferir - a ministra, quando a atacou no dia 10 de setembro de 2003.

"O acusado utilizou uma arma perigosa. Agarrou a faca com as duas mãos enquanto infligia os golpes (...) e agiu com grande violência. A localização e tamanho dos ferimentos foram fortemente consistentes com a intenção de matar", considerou o júri. "O fato de que Mijailo Mijailovic teve intenção de matar Anna Lindh é (atestado) para além de dúvida", lê-se na sentença.

"O crime deve por isso, com base nos elementos referidos, ser qualificado de homicídio".



Lindh, 46 anos de idade, sucumbiu a uma hemorragia interna que sobreveio ao princípio da manhã do dia seguinte ao ataque, que ocorreu três dias antes de um referendo sobre a adesão da Suécia ao euro, pela qual a ministra fez campanha ativamente. A ministra era, de resto, tida em linha de conta para vir a liderar um futuro governo daquele país escandinavo.

Anna Lindh


Durante as audiências realizadas em janeiro, o tribunal considerou Mijailovic culpado de homicídio, mas ordenou que o suspeito fosse submetido a exames psiquiátricos antes de o tribunal tomar uma decisão.

Após os exames, os especialistas consideraram que Mijailovic responsável penal por não apresentar, até então e na altura do crime, quaisquer perturbações passíveis de alterar a sua capacidade de percepção.



"A decisão não foi muito surpreendente", declarou o advogado de defesa, Peter Althin, que se escusou a dizer se vai recorrer da sentença por não ter ainda falado com o seu cliente. Mijailovic, um sueco de origem sérvia e com 25 anos, confessou o crime mas alegou que não pretendia matar Anna Lindh e que tinha sido levado a agredi-la por ordem de "vozes interiores".



O suspeito foi detido duas semanas depois do incidente e, durante meses, negou qualquer implicação no assassínio da ministra.

Confrontado com provas irrefutáveis, entre as quais um teste de DNA, que o ligava diretamente à arma utilizada, acabou por confessar a motivação do crime, entretanto confirmada por um amigo, que lhe reconheceu por “ódio”, por questões ligadas com intervenções militares ao país de origem.

Anna Lindh


Anna Lindh aftermath


Anna Lindh 1957-2003


Whole nation mourns over Anna Lindh (&fmt=18) Still


The Murder of Anna Lindh

Sem comentários: