quinta-feira, 4 de março de 2010

Martha Rendell


Martha Rendell


(10 de Agosto de 1871 - 6 de Outubro de 1909) foi a última de três mulheres a ser enforcada na Austrália Ocidental. Ela foi condenada por matar o filho de seu marido, Arthur Morris, em 1908. Ela também era suspeita de matar suas duas filhas, Annie e Olive limpando a garganta delas com ácido clorídrico. Fazendo com que as crianças não conseguissem comer, e com que tenham, assim, morrido de mortes lentas e agonizantes, tinham sido tratados por numerosos médicos durante a sua doença, dos quais apenas um tinha manifestado dúvidas sobre suas mortes.

Martha Rendell havia se mudado com Thomas Nicholls Morris, depois de ele ter separado de sua esposa. Morris teve a custódia de seus cinco filhos na época. As crianças foram orientadas a chamá-la de "mãe".

Aqueles que a conheciam alegaram que ela tinha uma natureza cruel e não gostavam nada dela. Vizinhos contaram como ela maltratava as duas meninas. Annie fora uma vez golpeada de forma tão brutal que não podia andar. O oficial Inspector Harry Mann que a prendeu disse que "ela tinha prazer sexual em ver a vítima contorcer-se em agonia".


O método:

Rendell matou Annie, 7 anos de idade, primeiro. Seu método consistia em colocar algo na alimentação da criança, que resultaria em uma dor de garganta. Foi alegado que ela matou as crianças limpando com ácido clorídrico a parte traseira de sua garganta alegando que era remédio. Isso fazia a garganta inflamar até que a criança não poderia mais ingerir alimentos e, assim, morreria de fome. Annie faleceu no dia 28 de Julho de 1907. Dr. Cuthbert emitiu um certificado atestando a causa da morte como difteria.

Depois de matar Annie dessa forma, ela voltou sua atenção sobre a jovem menina Olive, de 5 anos. Olive morreu no dia 6 de outubro de 1907, e novamente o Dr. Cuthbert emitiu um certificado atestando a causa da morte como difteria.

No inverno de 1908, tentou o mesmo método, com o terceiro filho de Arthur e filho mais novo. Arthur, que tinha 14 anos, levou mais tempo para sucumbir ao tratamento e morreu em 6 de outubro de 1908.

( Exatamente um ano após a morte de Olive) Dr. Cuthbert pediu permissão para uma autópsia, Martha Rendell, disse que queria estar presente durante o inquérito. Ela ficou calma porque a autópsia foi realizada e os médicos não encontraram nada para incriminá-la.

Em abril de 1909 ela voltou sua atenção sobre o segundo filho, George, não demorou muito para que o segundo filho se queixasse de uma dor de garganta depois de beber uma xícara de chá. Martha foi rapidamente oferecer o remédio e, após perceber a semelhança com as mortes dos irmãos, o rapaz decidiu que não queria ir da mesma forma que eles.

Ele fugiu e correu para a casa de sua mãe, ( Esperto ele né ?! ) algumas ruas de distância. Vizinhos perguntaram onde o rapaz tinha ido, mas Thomas Morris não sabia.

Inquéritos policiais:

Vizinhos foram à polícia e o inspetor Harry Mann realizou inquéritos. Mann ouviu repetidas referências para as crianças com suas gargantas doendo e sua mãe "aparente indiferente à sua dor e gritos de agonia.” Um vizinho afirmou que muitas vezes espreitou nas janelas para ver Martha Rendell de pé na frente da vítima, gritando, balançando para frente e para trás como se estivesse em êxtase. Mann localizou George Morris, que afirmou ter fugido porque sua madrasta matara seus irmãos e estava tentando envenená-lo da mesma forma.

O inquérito foi prejudicado pelo período de tempo decorrido desde a morte. Suspeitas foram ainda maiores, quando foi provado que Rendell havia comprado grande quantidade de ácido clorídrico durante o período da doenças dos filhos, mas nenhum deles desde a última morte. Armados com esta informação os detetives obtiveram permissão para exumar os corpos e isso foi feito em 3 de julho de 1909. A polícia exumou os corpos dos três filhos e ácido clorídrico diluído foi encontrado no tecido da garganta.

Rendell e Thomas Morris foram ambos acusados de homicídio, Rendell protestou a sua inocência, alegando que ela estava tratando as crianças para a difteria. Embora Thomas Morris também tenha sido acusado de assassinato, ele foi absolvido porque acreditava-se que, embora tivesse comprado o ácido, não tinha conhecimento dos crimes após as mortes das crianças. No entanto, ele tinha mentido à polícia e ao juiz, e o júri queria encontrá-lo culpado de ser um cúmplice, mas isso não foi permitido.

Rendell foi condenada à morte.

Contestação pública:

Havia um ultraje público considerável na época, a imprensa retratava Rendell como uma mulher "Scarlet" e "madrasta má". Ela foi enforcada em Fremantle Prison em 6 de outubro de 1909 (Aniversário da morte de duas de suas vítimas). Ela está enterrada no cemitério de Fremantle, no mesmo túmulo onde o serial killer Eric Edgar Cooke (vide postagem sobre ele aqui no blog http://pasdemasque.blogspot.com/2010/02/eric-edgar-cooke-night-caller.html ) foi sepultado mais de meio século depois. Martha Rendell foi a última mulher executada no estado da Austrália Ocidental.

Uma imagem incomum aparece em uma das janelas da prisão. É dito ser o retrato de Marta, que cuida da prisão. A única coisa que faz com que esta imagem seja tão incomum é o fato de que ela só pode ser vista do lado de fora da janela e quando olhado de dentro para o vidro é liso e não tem nenhuma forma ou textura incomum. Este é um bom exemplo de Pareidolia.

Vide Foto da Famosa Janela abaixo ( demorou mas eu vi ! MEDO ! rs ) Clique nela para ampliar.

 

Sem comentários: