sábado, 6 de março de 2010

David John Copeland - HellRaiser


John David Copeland


(nascido em 15 de Maio de 1976) é um ex-membro do Partido Nacional Britânico e do Movimento Nacional-Socialista, que se tornou conhecido como "London Nail Bomber" (Bombeador de pregos de Londres), ou "Hell Raiser" depois de uma campanha de bombardeio que durou 13 dias em abril de 1999, em Londres, comunidade do Bangladesh de negros e as comunidades gays.



Ao longo de três fins de semana consecutivos entre 17 e 30 de abril, Copeland colocou bombas caseiras de pregos, cada uma contendo até 1500 pregos de quatro polegadas, fora de um supermercado na avenida Brixton, uma área do sul de Londres com uma grande população negra; em Brick Lane, na extremidade do leste de Londres, que tem uma grande comunidade do Sul da Ásia e, no pub Admiral Duncan no Soho's Old Compton Street, no coração da comunidade gay de Londres. As bombas mataram três, incluindo uma mulher grávida, e 129 ficaram feridos, quatro dos quais perderam membros do corpo.


Apesar de Copeland ter sido diagnosticado por cinco psiquiatras como tendo esquizofrenia paranoide, e um consultor concluir que tinha um distúrbio de personalidade, o seu fundamento da responsabilidade diminuída, não foi aceito pela acusação, que estava sob pressão para não ceder aos seus apelos de culpado de homicídio culposo ( sem intenção de matar ). Ele foi condenado por assassinato em 30 de junho de 2000, e pegou seis penas de prisão perpétua.

Início da vida:

Copeland nasceu em Isleworth, na cidade de Londres de Hounslow, seu pai, um engenheiro, e sua mãe dona de casa. Ele viveu a maior parte de sua infância com seus pais e dois irmãos em Yateley, Hampshire, estudou na Yateley School, onde ele obteve sete GCSEs antes de sair em 1992. O jornalista britânico Nick Ryan, escreveu que Copeland foi um aluno atrasado e se ressentia de que ele era pequeno para sua idade. Seus testículos foram sub-desenvolvidos e ele só teve uma namorada, costumava sair só com prostitutas, quando ele era mais velho no lugar de ter um relacionamento amoroso. Ryan escreveu que, quando adolescente, Copeland temia ser gay, quando seus pais, cantavam juntos com o tema Flintstones na televisão "Teremos dias gays na antiga idade" - ele acreditava que eles estavam enviando-lhe uma mensagem. (A palavra Gay significa , alegria - ou seja, "dias alegres" no caso do tema dos Flingtstones)

Quando adolescente, começou a ouvir bandas de heavy metal e ganhou o apelido de "Mr. Angry." (Sr. Nervoso) Ryan escreve que os funcionários da sua escola não têm nenhuma lembrança dele durante esse período. Era como se ele tivesse se tornado invisível.

Após sua prisão, em 1999, disse a psiquiatra que tinha começado a ter sonhos sádicos quando tinha cerca de 12 anos, um dos sonhos e fantasias era que ele tinha sido reencarnado como um oficial da SS, com acesso à mulheres como suas escravas. Ele deixou a escola para uma série de postos de trabalho e falhou, começou a culpar os imigrantes pelo mercado de trabalho difícil. Ele se envolveu na pequena criminalidade, bebendo, e abusando no uso de drogas. Ele também participou de atos de vandalismo no futebol, com a empresa notória Portsmouth Football Club hooligan, o Crew 6,57. Seu pai acabou por conseguir-lhe um emprego como assistente de um engenheiro no metrô de Londres.

Envolvimento com o BNP e NSM:

Em maio de 1997, na idade de 21 anos, ele se juntou ao British National Party, um partido de extrema direita política. Copeland agiu como um administrador em uma reunião da BNP, no discurso da qual ele entrou em contato com a liderança do BNP e foi fotografado ao lado de John Tyndall, então líder do BNP. Foi durante este período que Copeland leu "O Diário de Turner", e aprendeu a fazer bombas usando fogos de artifício com despertadores como temporizadores, depois de baixar uma um manual dos terroristas da web.

Em 1998, Copeland deixou o BNP, indignado com sua estratégia de participação democrática. Juntou-se ao menor, violento e abertamente neo-nazista National Socialist Movement, tornando-se seu líder regional para Hampshire, apenas algumas semanas antes do início de sua campanha de bombardeio. Foi nessa época que visitou seu médico de família e foram prescritos anti-depressivos a ele, depois de dizer ao médico que sentiu que estava perdendo sua mente.

Bombardeios:


O primeiro ataque de Copeland, no Sábado, 17, de abril de 1999, foi na Electric Avenue, Brixton. Ele fez sua bomba com explosivos de fogos de artifício, amarrando-o dentro de um saco de desporto antes de purgar-lo e plantá-lo fora do supermercado, na esquina da Electric Avenue. Os comerciantes de Brixton Market, suspeitaram dele, e então mudou várias vezes de lugar antes de detonar a bomba, a polícia chegou, às 5:25 da tarde. Cinquenta pessoas ficaram feridas, muitas delas em estado grave por causa dos pregos de quatro polegadas que Copeland tinha embalado em torno da bomba. Um bebe de 23 meses tinha um prego conduzido através de seu crânio em seu cérebro (vide a primeira foto da postagem ) mas, graças ao empenho dos médicos, a criança teve uma recuperação completa.

A segunda bomba de Copeland, foi no sábado seguinte, 24 de abril, e foi destinada a Brick Lane, no centro da área de Bengali no East End de Londres. Há um famoso mercado na rua Brick Lane, aos domingos, mas Copeland, equivocadamente, tentou plantar a bomba no sábado, quando a rua era menos movimentada. Disposto a mudar o temporizador na bomba, ele deixou a bomba em Hanbury Street, onde explodiu. Treze pessoas ficaram feridas, mas não houve mortes.

A terceira e última bomba de Copeland foi plantada e detonada na noite de 30 de abril, no lotado pub Admiral Duncan em Old Compton Street, no centro do bairro mais gay de Londres. Andrea Dykes, 27 anos, grávida de quatro meses de seu primeiro filho, morreu juntamente com seus amigos e anfitriões da noite, Nick Moore, 31 anos, e John Light, 32 anos, que era para ser o padrinho do bebê. O marido de Andrea, Julian, ficou gravemente ferido. Os quatro amigos de Essex tinham ido conhecer o Admiral Duncan para comemorar a gravidez de Andrea, quando a bomba explodiu após ter sido colocada dentro de um saco de desporto e deixada perto do bar. Setenta e nove (79) pessoas ficaram feridas, muitas delas gravemente. Quatro dos sobreviventes tiveram de ter membros amputados.

Captura e condenação:

A Lei Anti-Terrorista da Polícia Metropolitana de serviço identificaram Copeland da filmagem da camêra CCTV em Brixton. Foi dada ampla publicidade a imagem em 29 de abril, o que causou a Copeland antecipar o seu bombardeio da Admiral Duncan para sexta-feira. Paul Mifsud, um colega de trabalho de Copeland, o reconheceu e alertou a polícia sobre ele uma hora e 20 minutos antes do bombardeio. Copeland foi detido nessa noite uma vez que a polícia obteve o seu endereço, um quarto alugado em Farnborough, Hampshire. Ele admitiu a realização de três atentados, logo que ele foi preso. Seu estado mental foi avaliado no Hospital Broadmoor, mas permaneceu uma questão de disputa em seu julgamento.

O júri o condenou por três homicídios e três crimes de plantação de bombas, e ele foi condenado a seis penas de prisão perpétua em 30 de junho de 2000. O juiz falou de sua dúvida de que ele jamais seria seguro para ser liberto. Em 2 de março de 2007, a Alta Corte decidiu que Copeland deveria permanecer na prisão por pelo menos 50 anos, efetivamente excluindo a sua libertação, pelo menos até 2049 na idade de 73. Ele está atualmente confinado no Broadmoor Hospital.

Motivação:

Copeland tinha trabalhado sozinho e não discutiu seus planos com ninguém. Durante os interrogatórios policiais, ele admitiu exibições de exploração neo-nazista, e falou de seu desejo de espalhar o medo e provocar uma guerra racial. Ele disse à polícia, "Minha intenção principal era espalhar o medo, ressentimento e ódio por todo o país, queria causar uma guerra racial". "Haveria uma folga de minorias étnicas" disse ele. "Eu tinha acabado de ser a faísca que iria incendiar o país."

Após a sua detenção, Copeland escreveu a correspondente da BBC, Graeme McLagan, negando que ele tinha esquizofrenia, e dizendo que o McLagan Zog, ou Ocupação Sionista do Governo, estava bombeando-o em drogas, a fim de varrê-lo para debaixo do tapete. Ele escreveu: "Eu bombardeei os negros. Eu teria bombardeado os judeus, se eu tivesse tido uma chance." Ryan escreveu que a primeira ideia de Copeland tinha sido bombardear o Carnaval de Notting Hill, após ver as imagens do atentado nos Jogos Olímpicos de Atlanta 1996. Quando questionado pela polícia, por que ele tinha como alvo as minorias étnicas, ele respondeu: "Porque eu não gosto deles, eu quero-os fora deste país, acredito na raça superior."

PS: Este Documentário contém cenas que podem ser consideradas chocantes.














Sem comentários: