quinta-feira, 4 de março de 2010

Donald Harvey - "Angel of Death"


Donald Harvey


(nascido em Butler County, Ohio, em 1952) é um serial killer que alega ter assassinado 87 pessoas. A estimativa oficial do número de pessoas que ele assassinou é de 36-57 mortes. Ele é um auto-proclamado Anjo da morte. (Angel of Death). ( Para quem não sabe “anjo da morte” é uma categoria de serial killers na maioria da área da saúde. Assim como a Viúva Negra é uma mulher que mata maridos.) Harvey está cumprindo quatro penas de prisão perpétua consecutivas na Southern Ohio Correctional Facility, em Ohio. Seu número de prisioneiro é A-199449.

Início da vida:

Donald Harvey nasceu em Butler County, Ohio, em 1952. Logo após seu nascimento, os pais de Harvey se mudaram para Booneville, Kentucky, uma pequena comunidade situada longe no Cumberland Plateau, parte das montanhas Apalaches. Em 14 de agosto de 1987, em entrevista com o repórter Nadine Louthan, do Cincinnati Post, a mãe de Harvey, Goldie Harvey, lembrou que seu filho foi educado em um ambiente familiar amoroso.


"Meu filho sempre foi um bom menino", disse ela.


Martha D. Turner, que foi diretora da escola elementar em que Harvey estudou durante oito anos, confirmou os comentários de McKinney em sua própria entrevista com o Cincinnat Post:
"Donnie era uma criança muito especial para mim", disse ela. Ele estava sempre limpo e bem vestido com seu cabelo cortado. Ele era uma criança feliz, muito sociável e bem quisto pelas outras crianças. Ele era um rapaz bonito, com grandes olhos castanhos e cabelos encaracolados e escuros... ele sempre tinha um sorriso para mim. “Nunca houve qualquer indicação de qualquer anormalidade”.


Ex-colegas de Harvey descreveram-no como um solitário e um animal de estimação do professor. Ele raramente participava de atividades extracurriculares, optando por ler livros e sonhar com o futuro. Após a sua graduação a partir de Sturgeon Elementary School, Harvey entrou na Booneville High School, em 1968. Ganhando A e B na maioria das classes com pouco esforço, tornou-se entediado com a rotina diária e caiu fora. Não tinha objetivos reais, Harvey não tinha certeza do que ele queria fazer com sua liberdade recém-descoberta. Por razões desconhecidas, ele finalmente decidiu mudar-se para Cincinnati, Ohio, onde conseguiu um emprego em uma fábrica local.

História:

Aos dezoito anos de idade, Harvey havia trabalhado em torno da profissão médica, começando sua carreira como um enfermeiro no Hospital Marymount em Londres, Kentucky. Mais tarde, ele confessou que, durante o período de dez meses ele trabalhou neste hospital, e que matou pelo menos uma dúzia de doentes. Harvey é insistente, diz que matou por puro sentimento de empatia com o sofrimento daqueles que eram doentes terminais. No entanto, ele também admitiu que muitos dos crimes que ele cometeu foram devido à raiva contra a vítima.


Harvey é notável por ter impedido seus crimes de vir à tona por mais de 17 anos. A verdadeira extensão de seus crimes nunca poderá ser conhecida, pois ele o fez por muito tempo. Harvey também é notável por ter utilizado vários métodos para matar, como arsênico, cianeto; insulina; asfixia; venenos diversos; morfina; desligamento dos ventiladores; administração de fluidos contaminados com hepatite B e / ou HIV (o que resultou em uma infecção da hepatite, mas não a infecção pelo HIV, de doença, em vez de morte); inserção de um cabide em um cateter, causando uma punção abdominal e peritonite subsequentes. Cianeto e arsênico eram seus métodos favoritos, Harvey as administrava através dos alimentos, injeção, ou IV.

A maioria dos crimes de Harvey teve lugar no Hospital Marymount em Londres, Kentucky, o VA Cincinnati Médico Hospitalar, e Cincinnati Drake's Memorial Hospital. Enquanto trabalhava lá, Harvey adquiriu o apelido de "O Anjo da Morte", como observou-se que ele estava presente em torno de um número grande de pacientes que morreram.

Harvey não limitou suas vítimas indefesas a pacientes do hospital. Quando ele suspeitou que o sua amante e companheiro, Carl Hoeweler, o estava traindo com outro homem, ele envenenou a comida dele com arsênico, deixando-o doente para que ele não conseguisse sair do apartamento deles. Ele também envenenou dois dos seus vizinhos, um ele deixou doente colocando soro hepatite em sua bebida; e o outra, Helen Metzger, ele matou colocando arsênico em sua torta. Ele também matou o pai de Hoeweler com arsênico quando ele estava no hospital após ter tido um (AVC) acidente vascular cerebral.

Harvey está preso em Allen Correctional Institution. Sua primeira audiência de condicional está prevista para abril de 2043.

Algumas vítimas:

Logan Evans, 88 anos, foi assassinado em 31 de maio de 1970. Foi sufocado com uma saco plástico e um travesseiro.

James Tyree, 69 anos, foi assassinado em 31 de maio de 1970. Ele colocou o tamanho errado de cateter e, em seguida, o virou para baixo até que ele vomitou sangue e morreu.

Elizabeth Wyatt, 42 anos, foi assassinada em 22 de junho de 1970. Ela teve seu suprimento de oxigênio cortado pelo Harvey.

Eugene McQueen, 43 anos, foi assassinado em 10 de julho de 1970. Ele havia sido intencionalmente virado de barriga para baixo e, consequentemente, afogado em seus próprios fluidos.

Harvey Williams, 82 anos, foi assassinado em 12 de julho de 1970. Donald Harvey  afirmou que o matou acidentalmente com um gás no aparelho respiratório.

Ben Gilbert, 81 anos, foi assassinado em 28 de julho de 1970. Harvey tinha usado um cateter de grandes dimensões e colocou um cabide através da uretra de Ben, que perfurou a bexiga e o intestino.

William Bowling, 58 anos, foi assassinado em 30 de agosto de 1970. Seu oxigênio foi desligado e ele sofreu um ataque cardíaco fulminante.

Viola Reed Wyan, 63 anos, foi assassinada em 4 de novembro de 1970. Harvey usou um tanque de oxigênio com defeito.

Margaret Harrison, 91 anos, foi assassinada no dia 7 de dezembro de 1970. Morreu de uma overdose de Demerol, codeína e morfina.

Sam Carroll, 80 anos, foi assassinado em 9 de janeiro de 1971. Com um tanque de oxigênio com defeito.

Maggie Rawlins, foi assassinada em 15 de janeiro de 1971. Ela havia foi sufocada até a morte.

Silas Butner, 62 anos, foi assassinado em 23 de janeiro de 1971. Foi forçado a usar um tanque de oxigênio com defeito.

John V. Combs, 68 anos, foi assassinado em 26 de janeiro de 1971. Ele também foi forçado a usar um tanque de oxigênio com defeito.

Aqui você lê em inglês sobre algumas outras vítimas: http://serialkillers.briancombs.net/3339/victims-of-donald-harvey/ 

O documentário abaixo fala de vários Anjos da Morte.







2 comentários:

VICENTE DIAS disse...

EU SOU A FAVOR DA EUTANÁSIA, PRINCIPALMENTE SE FOR EM IDOSOS TERMINAIS. CONCORDA, ANNE?!

Anne disse...

Olha eu considero este assunto muito delicado, não sei se concordo, mas imagino que se eu fosse uma doente terminal e estivesse sentindo muita dor, eu gostaria sim de passar pela Eutanásia. ^^

No caso dos Anjos da morte (serial killers)as vitímas nao sao sempre terminais, em muitos dos casos sao pacientes com chance de cura e sobrevivencia.