terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Arthur Gary Bishop - mentor do programa "Big Brother"



Um devoto mórmon, Bishop gostava de passar muito tempo com crianças. Depois de ser processado por apropriação em Utah, mudou de nome e desapareceu.


Com o nome Roger Downs, participou do Big Brother América.
Acampava com crianças. Molestava e matava.


Quando a policia o levou para um interrogatório de rotina, ele confessou seus crimes e admitiu ter molestado inúmeras crianças, e ainda acariciava-as depois de mortas. A moda mórmon, ele declarou que estava feliz por ser pego, porque só assim não o faria outra vez. Morreu por injeção letal em Junho de 1998.


Início da vida


Na juventude, Bishop foi um mórmon devoto, e estudante de honra.
Ele cresceu na pequena cidade de Hinckley,
Bishop começou a molestar meninos como mentor do programa "Big Brother".


Ninguém suspeitou inicialmente dele, apesar de dezenas de crianças que o acusaram de abuso depois que ele foi preso por assassinato.
Ele foi preso por peculato ( é um dos tipos penais próprios de funcionário público contra a administração em geral, isto é, só pode ser praticado por servidor público, embora admita participação de terceiros) , em 1977, e tendo em conta um período de cinco anos de pena suspensa, mas ele conseguiu sua condicional e fugiu para Salt Lake City, passou a molestar crianças sob o pseudônimo " Roger Downs "Bishop matou sua primeira vítima, em 1979.


Ele cometeu os próximos três assassinatos ao longo de um período de três anos, tentou saciar sua violenta vontade torturando e matando animais.


Depois de cometer o quinta assassinato em Julho de 1983, ele se aproximou da polícia ( sem admitir que tinha cometido o crime), identificou-se pelo seu apelido, e disse que queria ajudar a investigação.
A polícia local olhou nos seus relatórios anteriores e constatou que " Roger Downs" vivia nos arredores dos quatro assassinatos. Levaram-no para interrogatório, descobriram seu verdadeiro nome e, finalmente, o fizeram confessar a todos os cinco assassinatos.


No dia seguinte,
ele levou a polícia a três esqueletos perto de Cedar Fort e mais dois cadáveres recentes perto de Big Cottonwood Creek.


Julgamento e execução


Durante seu julgamento, Bishop afirmou que tinha um vício em pornografia infantil moldando suas violentas fantasias sexuais e, eventualmente, levou-o a representá-las. Ele, no entanto, foi considerado culpado de cinco acusações de homicídio qualificados, cinco crimes de sequestro agravados, e uma contagem de abusar sexualmente de um menor, e condenado à morte.


Após sua condenação, ele escreveu em sua carta,


" A pornografia é um fator determinante na minha queda.
De alguma maneira eu me tornei sexualmente atraído por rapazes e gostaria de fantasiar sobre eles nus. Algumas livrarias oferecem educação sexual, fotográficos ou livros de arte que, por vezes continham fotos de meninos nus. Eu comprei esses livros e os usei para melhorar minhas fantasias masturbatórias ... Encontrar aquisição de materiais sexualmente excitantes se tornou uma obsessão.
Para mim ver a pornografia, era acender um pavio de uma banana de dinamite.
Fiquei estimulado e tive que satisfazer meus desejos ou iria explodir. Todos os meninos tornaram-se meros objetos sexuais. Minha consciência foi dessensibilizada e meu apetite sexual inteiramente controlou minhas ações."


Ele foi executado por injeção letal na Prisão Estadual de Utah no ponto da Montanha. Antes de sua execução, ele expressou remorso por seus crimes.


Vítimas
Alonzo Daniels, 4 anos, 14 de outubro de 1979
Kim Peterson, 11 anos, 8 de novembro de 1980
Danny Davis, de 4 anos, 20 de outubro de 1981
Troy Ward, de 6 anos, 23 de junho de 1983
Graeme Cunningham, 13 anos, 14 de julho de 1983

1 comentário:

Jaqueline Emília disse...

Não entendi a parte dele ser o "mentor" do Big Brther.