sexta-feira, 15 de julho de 2011

Archibald Hall ou Roy Fontaine - “Um perfeito cavalheiro”


Archibald Thomson Hall


( Roy Fontaine, 17 de junho de 1924 - 16 Setembro 2002) foi um assassino em série britânico e ladrão. Nascido em Glasgow, na Escócia, ele se tornou conhecido como o assassino Butler ou o monstro Butler depois de cometer os crimes, enquanto trabalhava no serviço aos membros da aristocracia britânica. Até sua morte, ele foi a pessoa mais velha que passou uma condenação de vida inteira na prisão.

Crime desde o início:


Hall começou a furtar na idade de 15, e logo avançou para o roubo (uso de violência). Depois de perceber que ele era bissexual, ele se infiltrou na cena gay em Londres, onde ele se mudou com a força de seus lucros criminais. Ele serviu sua primeira sentença de prisão depois de tentar  vender na Escócia, jóias que havia roubado em Londres. Durante a sua extensão, ele aprendeu mais sobre etiqueta e da aristocracia e ao mesmo tempo melhorando seu sotaque escocês com aulas de dicção e estudando antiguidades.

Após a sua libertação, ele começou a usar o nome de Roy Fontaine - como uma homenagem a atriz Joan Fontaine, de quem era fã - e trabalhando como mordomo, ocasionalmente voltando para a prisão por penas incorridas depois de mais furtos de jóias. Ele se casou e divorciou-se durante este tempo.

De ladrão a assassino:


Em 1975, Hall foi libertado da prisão e voltou para a Escócia. Ele começou a trabalhar como mordomo de Margaret Hudson, uma viúva que vivia em Kirtleton House, Dumfriesshire. Hall, inicialmente, tinha idéias de roubar suas coisas de valor, mas ele nunca levou a sério, porque percebeu que gostava muito de seu emprego e empregadora.
Quando David Wright, um conhecido de seu passado na prisão e um ex-amante, também foi trabalhar na propriedade como um segurança, em 1977, os dois tiveram uma briga após Wright roubar algumas das jóias de Lady Hudson e Wright ameaçou contar a ela sobre o passado criminal de Hall, se ele o relatasse.
Hall levou Wright em uma caçada de coelhos em uma tentativa de enganar e vir a uma solução amigável. Uma vez fora dos campos, ele atirou em Wright e sepultou-o ao lado do córrego em Kirtleton House.


Hall decidiu deixar o emprego imediatamente - para decepção aparente de Lady Hudson - e voltou para Londres, onde ele planejava mais roubos e extorsão com o trabalho de mordomo para o Sr.Walter Scott-Elliot de 82 anos, e sua mulher Dorothy de 60 anos. Scott-Elliot, que tinha sido membro do Trabalho do Parlamento Europeu para Accrington, 1945-1950, era rico e um aristocrata escocês. O plano de Hall era roubar-lhes o dinheiro e se aposentar, mas no final ele matou os dois após a Sra. Scott-Elliot ver ele e um cúmplice em uma câmera , Michael Kitto, seu cúmplice e ele, estavam discutindo seus planos. Kitto imediatamente colocou um travesseiro sobre a boca dela e a sufocou.
Eles, então, drogaram o marido dela e levaram-nos para a Escócia, ajudados por uma prostituta local e conhecida, Mary Coggles. Dorothy foi enterrada em Braco, Perthshire, então eles estrangularam o marido (com um lenço) e bateram nele com uma pá e enterraram-no na floresta perto de Tomich, Invernesshire.


Sua próxima vítima foi Coggles, que passara a usar roupas caras e jóias de Dorothy chamando assim, muita atenção para si mesma. Depois que ela recusou-se a se livrar do casaco de pele, que era potencialmente prova incriminatória, Hall e Kitto a mataram com uma barra de corvo (instrumento usado para trocar pneus) e deixaram o corpo dela em um celeiro em Middlebie, Dumfriesshire, onde foi descoberto em 25 de dezembro de 1977, por um pastor.

A última vítima da dupla foi o meio-irmão de Hall, Donald, um pedófilo recém-saído da prisão a quem Hall odiava. Hall e Kitto encontraram-no na casa de férias de Hall em Cumbria, disseram a Donald que seu próximo roubo ia ser um difícil trabalho e enganaram-no convencendo-o a deixa-los praticar nele. Uma vez amarrado, Hall derrubou uma garrafa de clorofórmio para dentro sua garganta antes de afoga-lo em uma banheira (Eu achei foi pouco, pedófilo tem que morrer mesmo, na minha opinião). A tentativa de se livrar do corpo levou a queda de Hall e Kitto.

Prisão:


Hall e Kitto colocaram o corpo no porta-malas do carro e dirigiram novamente para a Escócia para realizar outro "enterro". No entanto, o tempo frio fez a condução perigosa, e assim, chegando a North Berwick em East Lothian, eles decidiram parar em um hotel durante a noite a fim de diminuir suas chances de estar em um acidente.

No entanto, os movimentos de Hall e Kitto fizeram o hoteleiro suspeitar deles e, preocupado se ele seria ou não pago por sua estadia, ele chamou a polícia como uma precaução. Quando eles chegaram, eles revistaram o automóvel de Hall e encontraram o cadáver.

Kitto foi preso, mas escapou através de uma janela no lavatório. Ele foi capturado em uma barreira policial na Haddington.
A polícia rastreou o carro que estava no nome de Scott-Elliot, em Londres, e encontrou o apartamento roubado e sujo de sangue. Perceberam que o crime estava ligado com o assassinato de Coggles, cujo corpo já havia sido encontrado. A polícia tinha evidências de que três homens e uma mulher tinham ficado em um hotel escocês por uma noite, mas na noite seguinte, apenas dois homens - Hall e Kitto - retornaram.

Hall tentou e não conseguiu cometer suicídio enquanto estava sob custódia, antes de revelar o paradeiro das três vítimas enterradas. Na neve profunda, com a observação da mídia, as equipes da polícia desenterraram os corpos de David Wright, Walter e Dorothy Scott-Elliot. Eles acusaram Hall e Kitto de cinco assassinatos.

Prisão e morte:


Hall foi condenado em tribunais de Londres e Edimburgo por quatro assassinatos - e condenado à prisão perpétua. Na Escócia, foi recomendado um mínimo de 15 anos na Inglaterra, o juiz proferiu também uma recomendação que ele nunca fosse solto.
Kitto foi condenado a prisão perpétua por três assassinatos, sem o mínimo recomendado, na Escócia, e um mínimo de 15 anos na Inglaterra. A polícia disse a Kitto, que de uma forma pervertida, teve a sorte de ir a julgamento, porque Hall estava planejando matá-lo também.


Hall fez inúmeras tentativas de suicídio que foram todas sem sucesso.
Hall publicou sua autobiografia, “Um perfeito cavalheiro”, em 1999. Ele morreu de um derrame em Kingston Prison, Portsmouth, em 2002 com a idade de 78. Até esta data, ele foi um dos mais antigos de mais de 70.000 prisioneiros em prisões britânicas, e mais antigo por servir uma pena de vida inteira.

Em 2005, o ator britânico Malcolm McDowell e roteirista de Hollywood Peter Bellwood anunciou que eles estavam procurando um diretor e financiamento para um filme baseado na vida de Hall. Em 2011, Malcolm McDowell afirmou que o filme estava sendo feito e seria nomeado "Monster Butler".




               

Sem comentários: