quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Dennis Rader ( O BTK KILLER )



Dennis Rader ( O BTK KILLER -Bind-Torture-Kill "Amarrar-Torturar-Matar" ) é um assassino em série estadunidense, preso em 2005.

Em 1974, na pequena cidade de Winchita, no interior do estado do Kansas, EUA, Dennis Rader,um aparentemente tranquilo e pacato funcionário público municipal e escuteiro, iniciava uma carreira assustadora de
assassinatos em série, marcados por uma frieza e sadismo impressionantes. Auto-intitulado BTK (Bind-Torture-Kill)
que quer dizer "Amarrar-Torturar-Matar", o assassino ridicularizou as autoridades policiais com pistas e cartas endereçadas à mídia,
além de reivindicar autoria de crimes e criar uma atmosfera de terror e medo na pequena Winchita.
BTK pode ter matado pelo menos 10 pessoas.
Frio, calculista e dono de uma mente doentia, fazia de seus crimes verdadeiras alegorias de crueldade e loucura,
como por exemplo, amarrar bonecas nos corpos das vítimas.

Dennis Rader foi preso em 26 de Fevereiro de 2005,
pelo Chefe de Polícia de Winchita, Norman Willians, quando, friamente e sem demonstrar arrependimento, assumiu ser o temido assassino BTK.

Em 2005, após a sua prisão e confissão, Dennis Rader teve a sua monstruosa carreira retratada no cinema através do filme Hunt for the BTK Killer, dirigido por Stephen T. Kay e estrelado por Robert Forster e Gregg Henry.


Veja Trailer do filme a baixo.

Nome: Dennis Rader BTK Killer
Nasc: 09/03/1945

Histórico da vida do assassino:

O homem que deixou toda polícia americana de mãos atadas por anos, que matou de forma violenta, torturou, amarrou, e fez ameaças por meios de comunicação, como jornais, por mais de 20 anos.

Ganhou o apelido de BTK depois de começar a assinar cartas com essa sigla que significa: Bind, Torture, Kill (amarrar, torturar, matar)., cartas essas que foram enviadas para jornais, ou encontradas nas cenas dos seus crimes. Várias cartas foram publicadas. Isso causou pânico em todo EUA não só na cidade de Winchita.

Dennis Rader, homem de família, que tinha 02 filhos e era casado, trabalhou por anos em uma empresa de segurança,
onde aprendeu a desarmar alarmes ou outros sistemas das casas que invadia.
Rader lia inúmeras revistas pornográficas, quando criança maltratava animais, espancando-os ou enforcando-os em árvores,
o que é um dos sinais detectados pela psiquiatria na maioria dos casos de serial killers,
Rader também serviu a força aérea americana. Apesar de tudo isso ele manteve sua vida social por todo o período em que cometeu seus crimes,
se tornando Presidente de grupo religioso e chefe de grupo de escuteiros.

Em 1974 Rader cometeu seu primeiro crime, assassinando uma amiga de trabalho, seu marido e 2 filhos. O crime ficou conhecido como “Otero Family Crime”.
Ele roubou um relógio e um rádio da casa, e foi encontrado seu sêmen no local,
o que indicava que ele sentia prazer ao matar.
Ele amarrou suas vítimas, torturando-as e matando-as.

Começava ai à matança de BTK, em Outubro de 1974 ele já havia cometido outros crimes,e então deixou uma carta em uma biblioteca pública,
onde assumia o assassinato da família Otero.
A carta foi publicada em um jornal no dia seguinte.
A caligrafia horrível e a escrita cheia de erros fizeram com que a polícia tivesse ideia de que estavam lidando com alguém muito,
muito perigoso e problemático, ele escreveu uma frase que chamou muita atenção dos oficiais

“Eu não consigo me controlar, vocês provavelmente me chamarão de psicopata, estuprador, mas isso é mais forte que eu, há um monstro dentro de mim”.

A semelhança entre os crimes era grande, corpos amarrados, torturados, falta de objetos, fio de telefone e até energia cortada na casa, porta arrombada com facilidade, cartas escritas à mão com ameaças e que demonstravam uma sede de atenção enorme.
Ele queria ser conhecido por todos, queria mostrar o que tinha feito, queria deixá-los com medo.

Em 1977 Rader invadiu a casa de Shirley Vian, ela estava com o filho pequeno, ele o prendeu no banheiro, amarrou sua mãe na cama e a matou.
O garoto escutou tudo.
Rader necessitava de ganhar a atenção da mídia novamente,
ele mesmo ligou para a polícia dizendo que tinha matado Shirley,
e que era o BTK falando.
Logo depois enviou uma carta ao jornal assumindo a autoria de outros crimes que até então estavam sem solução, também fez apologia a assassinos notórios como TED BUNDY e DAVID BERKOWITZ, o Filho de Sam.

O tempo se passou, Rader era um bom pai e um bom profissional, seu jogo de gato e rato com a polícia ficou mais devagar, então ele sentiu a necessidade de atacar novamente.
Em 1979 ele entrou na casa de uma senhora, mas ela demorou demais para voltar e ele foi embora deixando uma carta dizendo que o BTK esteve em sua casa,
a polícia em uma tentativa desesperada colocou na televisão a gravação onde BTK falava de seu próprio crime contra Shirley Vian, na esperança de que alguém reconhecesse sua voz. Não conseguiram nada além de várias denúncias falsas.

Rader ficou alguns anos sem agir, foi então que em 1985 matou seu próprio vizinho,
que foi encontrado próximo a uma rodovia, e em 1991 matou Dolores Davis, na casa dela.

Não se sabe o porque de Rader ter parado de matar a partir desta data, ele começou a trabalhar como “Homem da Carrocinha” e usava armas com tranqüilizantes para pegar os cachorros das ruas, inclusive se envolveu em alguns problemas com donos de alguns cachorros que sumiram de certas residências.
Estaria ele saciando seu desejo de matar com os animais? Quando criança ele fazia isso e pode ser que isso o manteve saciado por um bom tempo.

Em 2004, muitos anos após seu último crime, BTK ressurge com várias cartas enviadas para a polícia e para os jornais.
Fotos, carteiras de habilitação, objetos pessoais de vítimas, quebra-cabeças, desenhos, vários objetos foram enviados através de cartas,
ele estava de volta. Mas Rader errou ao enviar um disquete contendo fotos de crimes.
A polícia rastreou o disquete, descobrindo o nome de Denis Rader, e o local onde foi gravado o disquete, uma Igreja.

A partir daí a polícia conseguiu o DNA da filha de Rader,
e confirmou com o sêmen encontrado nos crimes, eles finalmente tinham prendido o BTK.

Características Adicionais:

Dennis Rader pegou 10 sentenças perpétuas, na época de seus crimes o estado de Kansas 'ainda' não tinha a pena de morte.

Os parentes de suas vítimas foram todos ao julgamento dele,
incluindo o filho de Shirley Vian que escutou e viu sua mãe morta por ele.
Eles lamentaram não ver a pena de morte.

A esposa de Rader conseguiu o divórcio com ele logo depois da prisão do mesmo.

A comunidade que Rader freqüentava, seus vizinhos, todos que o conheciam custaram a acreditar que ele era o BTK.

Existe um filme atual que fala sobre o caso BTK.

Existem controvérsias quanto ao número de vítimas de BTK,
muitos casos antigos e sem solução tiveram ligações com a maneira que ele matava suas vítimas.
Mas nada disso foi confirmado.

Segundo o Dr. Stone, criador do índice de maldade, Dennis Rader tem todos os quesitos para ser qualificado como ranking 22. O ranking máximo.
Como torturador e assassino que sente prazer em torturar.

A&E Documentary Special - The BTK Killer Speaks - Pt. 1 - 5


A&E Documentary Special - The BTK Killer Speaks - Pt. 2 - 5


A&E Documentary Special - The BTK Killer Speaks - Pt. 3 - 5


A&E Documentary Special - The BTK Killer Speaks - Pt. 4 - 5



A&E Documentary Special - The BTK Killer Speaks - Pt. 5 - 5


B.T.K. Killer (2005) Trailer


BTK movie reaction in Wichita

1 comentário:

Anónimo disse...

O disquete não continha fotos, apenas uma frase de teste.