terça-feira, 30 de julho de 2013

Rustin Parr - A Bruxa de Blair.




Rustin Parr tinha 38 anos em 1941. Ele viveu no condado de Frederick, Maryland com seus pais e não ia muito para a escola. Seus pais estavam mortos antes que ele completasse 10 anos de idade. Foi quando Rustin mudou-se para Burkittsville para viver com sua tia e tio. Seu tio era muito abusivo, mas ele era um carpinteiro, e ensinou tudo o que sabia para seu sobrinho. Rustin gostava muito de viver em Burkittsville. Os bosques que cercavam a cidade eram grandes ajudando-o a ficar longe de todo mundo e pudesse ser ele mesmo. Ele sempre gostou de ficar sozinho.

É por isso que não foi uma grande surpresa quando Rustin decidiu construir uma casa em uma encosta, a quatro horas de caminhada da cidade. Ele estava em seus vinte e poucos anos e levou quase cinco anos para terminar a casa. Foi uma bela casa de três andares ao lado de um riacho. Rustin continuou trabalhando na loja de seu tio por mais alguns anos, mas pouco a pouco ele começou a vir cada vez menos para a cidade. Então, sua tia morreu e seu tio mudou-se para Baltimore. Não havia mais muita razão para voltar.

Ele morava naquela casa desde então. Ele viveu uma vida tranquila, fumando seu cachimbo e fazendo longas caminhadas na floresta. Rustin era feliz e amava a natureza e os animais ao seu redor. Ele só entrou na cidade a cerca de duas vezes por ano para pegar suprimentos.




Os assassinatos:

Não se sabe exatamente quando, mas parece ter sido alguns anos antes dos assassinatos, que Rustin começou a ver uma figura na floresta durante suas longas caminhadas. Ela gritava para ele, mas desapareceria. Ele logo percebeu que era uma mulher, embora ela nunca houvesse mostrado seu rosto para ele. Ela usava um longo e escuro, casaco com capuz. Rustin nunca sentiu medo quando viu a mulher, ele só queria saber quem ela era. Toda vez que ele ia correr atrás dela, ela desaparecia.


Então, naquele inverno, Rustin começou a ouvir uma voz em sua cabeça. Na primeira vez, foi à noite, e ele achava que eram sonhos. Mas logo ele começou a ouvir a voz durante suas horas de vigília, e foi aí que ele começou a ter medo. A voz era uma mulher velha, e ela dizia todos os tipos de coisas em muitas línguas estranhas. Às vezes, ela repetia as palavras várias vezes. Rustin nunca viu a mulher na floresta novamente, mas a voz morou em sua cabeça por um bom tempo. (Há pessoas que afirmam que a mulher (e a voz) era a Bruxa de Blair, eu acredito que ele era esquizofrênico).

Depois de quase um ano ouvindo a voz, Rustin tinha perdido a maioria de seus sentidos. A voz começou a dizer-lhe para fazer as coisas, e ele se viu obrigado a fazê-las. No início, eles eram coisas sem sentido como dormir no porão durante uma semana, por exemplo.


Então, em novembro de 1940, ela disse-lhe para ir até Burkittsville e raptar as duas primeiras crianças que ele visse. Por alguma razão ele se viu incapaz de resistir. Ele seguiu as instruções da voz completamente, mesmo quando ela começou a pedir por mais raptos de crianças do município de Burkittsville e a pedir para matá-las. Ao todo, Rustin matou sete crianças, poupando um, Kyle Brody, um menino que, segundo ele, “foi feito para ficar no canto”, enquanto ele realizava o ato horrível no porão de sua casa.

Após a sétima criança morta, Rustin acordou e a figura encapuzada estava em seu quarto. Ele não podia vê-la claramente no escuro, mas sabia quem era. Ela falou com ele na mesma voz horrível que tinha assombrado a sua cabeça por mais de um ano. Ela disse que ele tinha terminado seu serviço e estava acabado, disse também que era para ele ir para a cidade no dia seguinte e dizer a todos o que tinha feito. Ela disse que iria deixá-lo em paz, se ele fizesse isso. Então a figura desapareceu e Rustin Parr nunca mais viu a mulher.

Local onde os corpos estavam

No dia seguinte, quando Rustin acordou, ele libertou Kyle. Chorou quando viu o pobre menino naquela manhã. Rustin, em seguida, caminhou lentamente até a cidade, entrou em um mercado e começou a dizer: "Eu finalmente terminei". A polícia o seguiu até sua casa e encontrou Kyle em pé na varanda olhando atordoado e incapaz de falar. Eles então encontraram os corpos das sete crianças em sete sepulturas no porão da casa. Rustin foi preso e condenado à morte.

As sete crianças.
A voz na cabeça de Rustin parou. Ele não sabia quem a mulher encapuzada era, mas sabia que ela era algum tipo de fantasma antigo. Ele tinha certeza de que essa mulher não estava viva. Estava realmente arrependido pelo que fez, mas ao mesmo tempo ele estava incrivelmente feliz porque essa mulher estava fora de sua cabeça. Kyle Brody nunca se recuperou dos dois meses na casa de Parr. Ele vivera sua vida institucionalizado (hospitalizado) até sua morte em 1971. Ele estava presente no dia do veredito de Parr em tribunal e chorou quando o júri condenou o eremita. Rustin Parr morreu enforcado em 1941. 

Kyle Brody, alguns anos depois o ocorrido

Este post foi feito por dica de um dos leitores. Agradeço pela dica querido leitor. 






Página do blog no Facebook.

12 comentários:

Anónimo disse...

Agradeço muito pelo post.

Muito esclarecedor e concordo totalmente com vc naquela epoca escutar vozes are sinal de bruxaria e outras coisas.
E obrigado novamente eh mt bom ler fatos sem maldiçoes envolvidas.

Macabéa disse...

Eu que agradeço.
Uma pena eu não ter encontrado mais sobre o caso, mas continuarei pesquisando, se encontrar, atualizo o posto ;) abraço

Deeh Coutinho disse...

adorei seu blogger.. ganhou mais uma seguidora ^^

Deeh Coutinho disse...

Adorei seu blogger ^^
Ganhou mais uma seguidora ^^

Mel disse...

Este é um dos casos que entristecem-me bastante: para além das crianças terem sido vitimizadas, o próprio Rustin foi vítima do seu transtorno mental. Ele não merecia morrer, mas isto é o meu ponto de vista.

*

Anónimo disse...

infelizmente naquela época não existia tratamentos adequados...
se ele não tivesse morrido seria pior...
teria sofrido aqueles tratamentos crueis em sanatórios...




Erick Joe disse...

Até hj não existe tratamento. ..tem vários casos parecidos na cadeia e em breve soltos...

Thalisson Silva disse...

Amei. Serio. Eu escrevo historias e agora estou iniciando umas de terror. Seu blog ajuda MUITO. Pf visite o meu: migosdevdd.blogspot.com

cosmos disse...

Sinto pena de Kyle, o «sobrevivente», que ficou condenado por muito mais tempo ao sofrimento e trauma. Nem aos 40 anos de idade chegou e viveu o resto dos seus dias numa instituição. Esse foi mesmo uma vítima. Que horrores terá presenciado? Lamentável.

Anónimo disse...

Pelo amor de Deus, vejam o documentário do filme, essa história foi criada para o filme, isso nunca ocorreu, foi tão bem feita que no site da cidade tem uma nota avisando que tudo não passa de jogada de marketing.

Macabéa disse...

Sim, o filme é completamente falso, mas o diretor se baseou nesse caso para inventar tudo aquilo.
Este caso é verdadeiro. Não falo em momento algum que o filme é real.

;)

jc disse...

A história do Laerte Orpinelli aqui no Brasil, é muito pior !