quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Kenneth Eugene Parnell (Vítima Steven Stayner, irmão de Cary A. Stayner)

       


Kenneth Eugene Parnell 

(26 de setembro de 1931 - 21 de janeiro de 2008) foi um agressor sexual americano condenado, conhecido pelo infame sequestro de Steven Stayner com sete anos na época, em Merced, Califórnia.

Início da vida:

Parnell nasceu em Amarillo, Texas, durante a Grande Depressão, filho de Cecil Frederico e Mary Olive (Pollard) Parnell. Se mudou com sua mãe, suas duas meio-irmãs e meio-irmão para Bakersfield, Califórnia. Parnell foi criado sem seu pai, que abandonou a família quando ele tinha seis anos. Passou grande parte de sua adolescência dentro e fora de instituições juvenis para doentes mentais.
Em março de 1951, Parnell foi preso por sodomizar um menino, e por se passar por um policial (Parnell havia usado o emblema de um xerife falso, ele comprou de em uma loja de assesórios do exército e da Marinha), ele foi condenado pelo crime em 1952, a quase quatro anos de prisão. Apesar de receber tratamento no Hospital Estadual de Norwalk, cortou um bloqueio de uma janela da sala de roupas e fugiu, ficando livre até fevereiro do ano seguinte, quando finalmente foi preso em Albuquerque, Novo México .

Em uma entrevista em 15 de janeiro de 2000, para East Bay Express com o jornalista Katy St.Clair, Parnell disse que raptou e molestou o menino porque sua esposa estava grávida e que ele "tinha de encontrar outra saída." Parnell alegou ter sido casado três vezes, mas apenas dois registros de seus casamentos são conhecidos. Casou-se com Patsy em 1950, que deu à luz a uma menina no ano seguinte. Eles se divorciaram em 1957. Mais tarde naquele ano, Parnell casou-se com Emma, uma mulher 10 anos mais velha. Ela também deu à luz uma filha logo após sua união.

Ele negou nessa mesma entrevista ter sofrido de abusos sexuais, embora o livro de Mike Echols "I Know My First Name is Steven” diz que Parnell foi molestado com a idade de 13 por um pensionista em uma casa que pertencia a sua mãe em Bakersfield. Parnell foi preso por atos sexuais, homossexual em público, em 1947.

Mais de uma década depois do caso da sodomia, Parnell voltou para a cadeia por assalto à mão armada, em Utah. Enquanto estava na prisão, sua segunda esposa pediu o divórcio. Parnell alegou ter se casado uma terceira e última vez em 1968. Nenhum registro deste casamento foi encontrado.

Rapto de crianças

Em 04 de dezembro de 1972, sequestrou Steven Stayner com a ajuda de Ervin Edward Murphy, um colega de trabalho no hotel Yosemite Parnell, onde trabalhou como auditor noturno. Parnell disse para Steven que seus pais não podiam mais sustenta-lo, que um juiz tinha dado a ele a custódia legal e que seu novo nome era "Dennis".
Em 14 de fevereiro de 1980, Parnell sequestrou Timmy White com cinco anos de idade, numa rua de Ukiah, Califórnia, com a ajuda de Sean Poorman que era um conhecido de Steven.

(Agora, alguém me explica esses caras que o ajudaram? São tão monstros quanto ele!)

Prisão:

Recusando-se a sofrer mais abusos que tinham sido duradouros por tanto tempo, Stayner esperou até Parnell sair para o seu trabalho do turno da noite em um motel local em 1 de março de 1980 para fugir. Stayner figiu carregando Timmy em suas costas, pediu carona para Ukiah, onde a sua intenção era levar Timmy a sua casa e depois "fugir" (ainda acreditando que Parnell tinha a sua custódia legal). Não foi possível localizar a casa de Timmy, ele então levou o garoto ao Departamento de Polícia, onde a verdade do que tinha ocorrido ao longo dos últimos sete anos lentamente foi aparecendo. Ao raiar do dia seguinte Parnell havia sido preso, e ao verificar o passado de Parnell, seu registro da condenação sodomia de 1951 deu credibilidade a tudo, apesar de Steven na época insistir que Parnell não tinha abusado sexualmente dele.
Steven

Julgamentos de 1981:

Parnell foi julgado pelo sequestro dos dois, mas não por abuso sexual que ele infligira a Stayner. Ele cumpriu cinco anos da pena de prisão de sete anos. O cúmplice do sequestro de Steven cumpriu dois anos de uma pena de prisão de cinco anos, já o menor que ajudou a sequestrar Timmy White, cumpriu pena em um centro juvenil.
Steven Stayner morreu em 1989 de ferimentos sofridos em um acidente de moto. De acordo com a entrevista de 2000 St. Clair, Parnell disse que ao saber da morte de Steven, chorou pela primeira vez desde que ele tinha cerca de nove anos de idade. O entrevistador, porém, questionou a sua sinceridade.
Timmy e sua mãe.

Condenações de 2004.

Em janeiro de 2003, Parnell foi novamente preso depois de tentar coagir seu “cuidador” à comprar-lhe um menino de quatro anos de idade. Parnell a esta altura estava com 71 anos de idade e saúde precária, sofrendo de diabetes e enfisema, além de outras doenças provocadas por um acidente vascular cerebral que sofreu, necessitando de cuidados de enfermagem 24 horas por dia em seu apartamento no bloco 2600 de Mathews Street, em Berkeley.
O cuidador, Diane Stevens, estava ciente do passado de Parnell e cooperou com a polícia na criação de uma operação policial que levaria à sua prisão. Segundo o testemunho de Diane Stevens, Parnell pediu que criança tivesse um reto "limpo", indicando intenções sexuais. Ele pagou US $ 100 por uma certidão de nascimento e tinha US $ 400 em sua posse para a conclusão da transação, quando ele estava para receber a criança em 3 de janeiro de 2003. Parnell foi preso.

"Eu queria uma família", Parnell dissera às autoridades depois de sua prisão.
Parnell foi condenado em 09 de fevereiro de 2004, sob acusação de tentar comprar uma criança e tentativa de abuso sexual infantil, embora a criança em questão fosse inexistente. (Acho que se fosse aqui no Brasil, nada aconteceria com ele). A promotoria argumentou com sucesso sobre o abuso sexual e pornografia encontrada no apartamento, junto com o próprio testemunho de Stevens, foram suficientes para provar que as intenções de Parnell foram de natureza criminosa. Parnell foi condenado a 25 anos.
O procurador Wellman disse que Parnell estava à procura de um última vítima.

Morte

Parnell permaneceu encarcerado até a sua morte em 23 de janeiro de 2008. De acordo com agentes penitenciários na California State Prison Hospital em Vacaville, Califórnia, Parnell morreu de causas naturais. Ele estava sob cuidados de hospício há algum tempo.

Adaptações da mídia:

A vida de Stayner com Parnell foi documentada em 1989 em um filme de TV I Know My First Name Is Steven (Eu sei que o meu primeiro nome é Steven, também lançado como o Missing Years). Vi o filme e indico. Em 1991, um livro com o mesmo título foi escrito por Mike Echols.

CURIOSIDADE: Steven Stayner era irmão de Cary Stayner (um serial killer) vide post http://pasdemasque.blogspot.com.br/2011/02/cary-stayner.html

Steven Gregory Stayner (18 abril de 1965 - 16 de setembro de 1989) foi uma vítima de sequestro-americano. Stayner foi raptado da cidade do norte da Califórnia e do condado de Merced, Califórnia, com sete anos de idade e mantido até que ele tinha 14 anos, quando ele escapou e resgatou uma vítima, Timothy White, em 1980. Stayner morreu em 1989 em um acidente de moto enquanto dirigia para casa do trabalho. 

Nascimento e família:
Stayner foi o terceiro dos cinco filhos de Delbert e Kay Stayner em Merced, Califórnia, em 18 de abril de 1965. Ele tinha três irmãs e um irmão mais velho, Cary. Em 2002, Cary foi condenado e sentenciado à morte pelo assassinato de quatro mulheres de 1999.

Sequestro:

Na tarde de 04 de dezembro de 1972, Stayner foi abordado no caminho da escola para casa por um homem chamado Ervin Edward Murphy, um conhecido de Kenneth Parnell.  Murphy, descrito por aqueles que o conheciam como um confiante, ingênuo e simplório  homem,  tinha sido contratado pelo estuprador de criança Parnell (que se fazia passar por um aspirante para Murphy) para ajudá-lo a sequestrar um jovem para que Parnell pudesse "exaltá-lo em um tipo de acordo religioso ", como Murphy declarou mais tarde. 

Agindo sob instruções de Parnell, Murphy passou folhetos evangélicos para meninos que andavam para casa da escola naquele dia e, após avistar Stayner, alegou ser um representante da igreja em busca de doações. Stayner mais tarde afirmou que Murphy lhe perguntou se sua mãe estaria disposta a doar todos os itens para a igreja, quando o menino respondeu que ela seria, então, pediu a Steven que o levasse até sua casa. Stayner voluntariamente entrou no carro com Murphy. Parnell, estava no volante e em seguida, dirigiu para sua cabana nas proximidades Catheys Valley deixando Steven confuso. (Sem o conhecimento de Stayner, a cabana é localizada a apenas algumas centenas de metros da residência de seu avô materno). Parnell molestou Stayner pela primeira vez no início do manhã seguinte.

Depois de dizer a Parnell que ele queria ir para casa muitas vezes durante sua primeira semana com o homem, Parnell disse a Stayner que ele havia conseguido a custódia legal do menino, porque seus pais não podiam mais sustentar tantos filhos e que não queriam mais ele.

Parnell começou a chamar o menino de Dennis Gregory, mantendo o verdadeiro nome do meio de Stayner e sua data de nascimento real, quando ele se matriculou em várias escolas ao longo dos próximos anos. Parnell se fazia passar por pai de Stayner, e os dois se mudaram com frequência ao redor da Califórnia. Ele permitiu que Stayner começasse a beber em uma idade jovem e de ir e vir praticamente quando quisesse. Um dos poucos aspectos positivos da vida de Stayner com Parnell era o cão que tinha recebido como presente de Parnell, um Manchester Terrier que ele chamou de Queenie. Este cão tinha sido dado a Parnell por sua mãe, que não estava ciente da existência de Stayner durante o período em que ele estava vivendo com Parnell.

Por um período de mais de um ano, uma mulher chamada Barbara Mathias, juntamente com um ou mais de seus filhos, viveu com Parnell e Stayner. Mais tarde, ela alegou nunca ter imaginado que "Dennis" tinha, na verdade, sido raptado.

Fuga:
Como Stayner estava na puberdade, Parnell começou a olhar para uma criança mais jovem para sequestrar. Em 14 de fevereiro de 1980, Parnell e um amigo de adolescência de Stayner chamado Randall Sean Poorman sequestraram um menino de cinco anos de idade, Timmy White em Ukiah, Califórnia. Motivado em parte pela angústia do jovem menino, Stayner decidiu fugir com ele, com a intenção de devolver o menino para seus pais e, em seguida, fugir. Em 1 de março de 1980, enquanto Parnell estava ausente em seu trabalho de segurança a noite, Stayner pegou carona para Ukiah com Timmy. Não foi possível localizar o endereço da  casa dele, então ele decidiu levar Timmy para o departamento de polícia para pedir ajuda, antes de fugir. Antes que ele pudesse escapar com sucesso, a polícia avistou os dois rapazes, Steven carregava Timmy nas costas e os levaram sob custódia. Stayner imediatamente identificou Timmy White e, em seguida, revelou a sua verdadeira identidade e história.

Ao amanhecer do dia 02 de março de 1980, Parnell havia sido preso sob suspeita de sequestrar os dois meninos. Ambas as crianças foram reunidas com suas famílias naquele dia. Em 1981, Parnell foi julgado e condenado por seqüestros, o de White e Stayner em dois julgamentos separados. Ele foi condenado a sete anos, mas estava em liberdade condicional depois de cumprir cinco anos. Parnell não foi cobrado com as inúmeras agressões sexuais contra Steven Stayner e outros meninos porque a maioria deles ocorreu fora da jurisdição. Os promotores de Mendocino County, atuando quase que inteiramente sozinho, decidiu não processar Parnell pelas agressões sexuais ocorridas em sua jurisdição. Isto é provavelmente devido à crença dos promotores de que eles estavam "protegendo". Eles também podem ter sentido que eles estavam respeitando a relutância dos pais de Stayner para discutir os crimes de Parnell por causa do estigma do abuso sexual masculino. Poolman, que ajudou a raptar Timmy, e Ervin Murphy foram condenados por acusações menores. Ambos afirmaram que não sabiam nada sobre os abusos sexuais praticados contra Steven. Barbara Mathias nunca foi presa. Stayner lembrou da bondade do "tio" Murphy lhe mostrando seu cativeiro, enquanto ambos estavam sob a influência da manipulação de Parnell, e ele acreditava que Murphy era tão vítima de Parnell  quanto ele e Timmy.

O sequestro de Steven Stayner e suas consequências levaram os legisladores da Califórnia a mudar as leis estaduais "para permitir prisão consecutiva em casos de abduções semelhantes".

Stayner se casou com Jody Edmondson em 13 de junho de 1985 e tiveram dois filhos, um filho e uma filha. Stayner entrou para a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias antes de sua morte.

Em 16 de setembro, 1989, Stayner estava de moto e colidiu com um carro que puxou para o tráfego de uma estrada lateral. Ele sofreu ferimentos fatais na cabeça e morreu no Centro Médico da Comunidade de Merced logo em seguida. Ele estava dirigindo sem licença (suspenso pela terceira vez por causa de infrações de trânsito em excesso de velocidade) esteva sem capacete, que havia sido roubado dias antes. Mais de 500 pessoas compareceram ao seu funeral, incluindo Timmy White que estava com 14 anos, a quem Stayner disse em seu testamento que queria ser um de seus padrinhos.






Sem comentários: